Covid levou Jesus, que deixou amor pelo Pantanal e a melhor peixada – Comportamento

Atualizados

- Publicidade -

Guia de turismo conhecido, Jesus até ganhou título de Rei do Pantanal pelo amor e todo conhecimento que tinha

Jesus era guia de turismo e pescador conhecido na região do Pantanal. (Foto: Arquivo Pessoal)

Quem conhecia Jesus Paiva conseguia identificar quando ele se aproximava com a voz marcada pelo sorriso. Sempre pronto para uma festa em família, Jesus levava a mesma alegria com a qual levava a vida para a cozinha e conquistava todo mundo com uma “boa peixada”, fazendo jus a quem nasceu e cresceu na região do Pantanal.

Agora ele vai fazer falta nos próximos encontros. Sua gentileza e o bom humor estarão só nos corações dos familiares. Jesus, chamado carinhosamente pelos amigos de “rei do Pantanal” ou Duty, morreu aos 76 anos no último dia 30 de junho, vítima de complicações da covid-19. Foram 13 dias internado e pulmões que chegaram a ficar 95% comprometidos por conta da doença.

Homem pantaneiro desde a juventude.
Homem pantaneiro desde a juventude.

Nas palavras da família, Jesus fez a passagem de um jeito que ninguém queria, no entanto, nem a morte será capaz de apagar o que ele deixou. “Duty tinha uma alegria no coração que contagiava. Onde ele chegava fazia festa. Aprendeu isso com os meus pais que sempre se dedicaram a manter a nossa família unida”, conta a irmã, a professora aposentada Maria de Jesus Paiva Santos, de 75 anos.

A alegria e a paixão pelo Pantanal sempre fizeram parte do seu caminho. Guia de turismo, Jesus nasceu em Forte Coimbra, onde aos pais era donos da fazenda Sapucay. Dos 7 filhos, ele era, sem dúvidas, o mais brincalhão. “Isso o tornava muito participativo. As pessoas gostavam de tê-lo por perto e ele sempre se destacava nos encontros da família”.

Pela familiaridade com o Pantanal, fazia peixe como ninguém, afirma Maria. “Cozinhava muito bem. O pintado a urucum era o prato mais incrível dele. Aprendeu a cozinhar e preparar peixe durante suas viagens pelo Pantanal”.

Jesus com os 6 irmãos. (Foto: Arquivo Pessoal)
Jesus com os 6 irmãos. (Foto: Arquivo Pessoal)

Isso o tornou conhecido entre muitos figurões do estado que embarcavam nas pescarias. “Ele levava as pessoas e conhecia o Pantanal perfeitamente. Ele sabia exatamente em que ponto do rio tinha mais peixes. Com isso se tornou disputado e as pessoas adoravam viajar com ele”. Foi assim que passou a deixar todo mundo louco pela peixada, que preparava após as pescarias.

Dono de uma vida alegre, Jesus também gerava curiosidade pelo nome, escolhido pela mãe católica que colocou Jesus em quase todos os filhos. “Seu nome o deixava muito orgulhoso, assim como ele se orgulhava de ter crescido na região do Pantanal. Não é à toa que o título de rei do Pantanal fez todo sentido para ele. Meu irmão deixou muita saudade, mas também muito orgulho pela trajetória alegre e humana       “.

Jesus deixou 3 filhos e 4 netos.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: [email protected] ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Acessados