O novo Registro Geral (RG), surpreende brasileiros unificando informações do cidadão; Veja como ficou

-

- Publicidade -

Imagem: Reprodução/Google

O novo registro público (RG), também conhecido como Carteira Nacional de Identidade (CIN), já está sendo emitido em alguns estados brasileiros. De acordo com o governo federal, todos os institutos de identificação do país têm até 3 de março de 2023 para se adequar ao novo modelo.
- Publicidade -


- Publicidade -

Com a nova versão, a identidade passa a ser padronizada pelo CPF de cada cidadão. Além disso, o objetivo period aumentar a segurança na documentação documental, reduzindo o número de fraudes. Como é uma paráfrase, a versão CIN é gratuita.

Nova Edição do RG

Até o momento, os cidadãos residentes nos seguintes estados podem solicitar a emissão da nova faixa RG: Rio Grande do Sul, Acre, Goiás, Minas Gerais, Paraná e Distrito Federal. Outras unidades da União devem adaptar seus sistemas até 6 de março de 2023.

- Publicidade -

“Aos poucos, não teremos carteira de identidade para cada estado. São 26 estados e distritos federais, cada um com carteira própria. Isso vai acabar. Haverá uma definição única de cidadão”, disse o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Luís Eduardo Ramos.

Além disso, apenas os cidadãos que estiveram com o CPF common poderão obter a nova cópia do documento de identidade. Isso porque, se você tiver algum comentário no documento, não será possível emitir um CIN, já que o registro será o seu número principal.

Como corrigir o CPF 

Quanto à correção do CPF, o cidadão pode acessar o website da Receita Federal, mediante apresentação de alguns dos seguintes documentos:

  • Uma foto pessoal do rosto do requerente segurando o documento antigo;
  • Documento de identidade de um dos pais, no caso de um menor;
  • Documento de identidade oficial com fotografia;
  • Certidão de nascimento ou casamento;
  • Comprovante de residência.

Alterações feitas com o novo RG

“A nova identidade vem com um código QR que pode ser lido rapidamente por qualquer cidadão, facilitando a identificação e autenticação do documento”, disse a secretaria.

Entre as muitas mudanças, confira as principais:

  • Primeiro, autenticar documentos através de um código QR;
  • Uso exclusivo do cadastro particular person (CPF);
  • Além disso, a biometria obrigatória (impressão digital de uma pessoa);
  • Determinar se o titular é ou não um dador de órgãos;
  • Conterá a natureza do cidadão.
  • Adoção do código MRZ padrão internacional (o mesmo código que contém nos passaportes);
  • A presença de tipo sanguíneo e fator FC no documento;
  • Por fim, a unificação do bilhete de identidade para todo o território nacional.

Viabilidade da CIN

Em relação ao prazo de validade do CIN, ele varia de acordo com a idade do cidadão. Verificar:

  • 5 anos: para crianças entre 0 e 12 anos;
  • 10 anos: para pessoas entre 12 e 60 anos; e
  • Não especificado: Para idosos com mais de 60 anos de idade.

- Publicidade -

Compartilhe esse artigo

MAIS LIDAS

categorias populares

Recent comments